facebook  instagra,  linkedin  youtube

A República quer Nascer!

Todos sabemos que Portugal fez com que o Estado nascesse antes do Brasil e assim se constituiu até hoje: com uma burocracia resistente à indústria, controlando um capitalismo meia boca, mercantilista e rentista, concentrador brutal da renda. Todos nós sabemos que um militar monarquista, em 1889, derrubou o Imperador e chamou sua farsa de “proclamação da república”, sem nada mudar (não sei por que feriado em 15 de novembro!). O voto universal e secreto, também para as mulheres, só ocorreu com a Revolução Corporativista de 30, muito bem aproveitada pelo estamento burocrático, através de poderosas e privilegiadas CORPORAÇÕES ESTATAIS. Essa era até recentemente a feição gloriosa do nosso PATRIMONIALISMO, já que três episódios acusaram seu declínio:

1. O conluio criminoso e impune entre agentes públicos e empresários tinha ultrapassado a abusiva casa dos milhões, quando estourou o escândalo do Banestado, no governo FHC, com a evasão ilegal para a agência de NY do referido banco, através das famosas contas CC5, de 5,2 bilhões de reais. Uma força tarefa com Moro, o procurador Celso Três e o delegado José Castilho foi designada e deu de cara com o conhecido doleiro Youssef, tiraram-lhe uma “delação” e indiciaram 631 pessoas, entre conhecidos empreiteiros, grandes empresários e donos de TVs (estes garantiram a ausência midiática do evento). O presidente do BC de então dificultou a obtenção das provas, facilitando à velha justiça a feitura de generosos “acordos” com os malfeitores e libertando-os. Esse episódio retrata o nível de degradação das relações estatais de impunidade e vício nos anos 90, um certo esgotamento do sistema;
 
2. Aí, sobreveio a famosa foto do diretor dos Correios recebendo dinheiro, a CPI, Dirceu distribuindo recursos públicos para o PT e aliados, a confissão/denúncia de Roberto Jefferson e a ação 470, o famoso Mensalão. A determinação, competência e integridade do ministro Joaquim Barbosa, relator do processo, fizeram romper o comprometimento secular da velha justiça com os donos do poder, levando os réus à condenação. Estava, pela primeira vez, “trincada” a resistente armadura que resguardava o regime e dali, daquela rachadura, começava a sair um líquido mal cheiroso. Mas, para os agentes viciados em PATRIMONIALISMO, bastaria um pedaço de esparadrapo para conter o fedor... o que foi feito, pelo fato da condenação pesar mais para o lado do PT, fazendo com que o episódio fosse isolado e focado convenientemente;
 
3. Eis que a polícia descobre o posto da Petrobrás, lavando dinheiro e tendo à frente o notório Youssef, o mesmo doleiro do Banestado!!! O Moro e sua Lava Jato foram com tudo pegá-lo. Só que, atrás do posto estava todo o Brasil, vestido de PATRIMONIALISMO!!! Moro pôs o bisturi na rachadura feita por Joaquim Barbosa e lancetou o tumor estatal, fazendo saltar suas vísceras podres sobre todos os brasileiros. Tá tudo tomado! “Onde se lancetar sai pus! 
 
Embora apodrecido, o Estado está secularmente dominado pela burocracia, hoje transformada em poderosas e privilegiadas CORPORAÇÕES ESTATAIS. Prova disso teve Meirelles, ao pretender equalizar o teto das aposentadorias do setor público e privado, além de segurar o aumento dos funcionários público, nada conseguiu! Também o rejeitado “auxílio moradia” e outros penduricalhos tiveram sua votação no STF protelada e enviada para outra “repartição de conciliação”(sabe-se lá o que é isso?), por ação do lobby judicial. E mais, o PT lidera um derradeiro esforço de todos os condenados do “andar de cima”, de hoje e de amanhã, contra a prisão após decisão de segunda instância e pelo enfraquecimento da Lava Jato. Nada disso me espanta, pois o PATRIMONIALISMO vem de longe, é muito velho, é o próprio diabo! Mas, a armadura do regime trincou, o pus está jorrando.

Se não for hoje será amanhã, a REPÚBLICA precisa nascer!!!

Contatos

  • Escritório - (11) 3569-2689
  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Siga-nos